Fim

Dos nossos segredos surgiram os degredos.

Das nossas palavras, antes tão alegres,
Nasceram silêncios infindáveis.

Dos olhos felizes pelo retorno,
Despontaram tristes paisagens.

Das luzes quentes fizeram-se as trevas.
Duras e impávidas.

Do dedilhar macio irrompeu o toque áspero.
Da amena temperatura surgiu um clima gélido.

Das curvas amenas emergiram grandes
E profundos abismos.

Do meu Eu tão sorridente brotou um ser amedrontado,
Duro, seco, sombrio e sôfrego.

Do mar de esperanças lindas e verdes
Sobreveio um deserto solitário e escaldante.

Da nossa existência colorida nasceu o
Monstro dos dias cinzentos e sem sol.

Postagens mais visitadas