terça-feira, 15 de setembro de 2009

Penunbra

Então, depois de todo o meu esforço, de todo sofrimento com a pesquisa do Araguaia, descubro que o co-autor que nada fez pelo livro e ainda assinou junto comigo o Operação Araguaia, está na região de guerrilha com o grupo de trabalho da Secretaria de Direitos Humanos e Ministério da Defesa.
O tal jornalista, além de não ter me ajudado tanto quanto ele disse, ainda me ameaçou e xingou o editor.
Fora isso, deu informações erradas sobre guerrilheiros enterrados no pátio da PF em Brasília, e fez com que escavassem um monte de poeira lá.
O mesmo jornalista deu uma foto de um suposto Herzog ainda vivo para o Correio Braziliense e envolveu o jornal numa mentira que atingiu outros jornais.
Depois, parou de trabalhar e ficou tempos fora do Brasil.
Agora o convidam para o Araguaia. Enquanto eu promovo debates, faço artigos, provoco reflexões e publiquei outro livro que joga luz sobre a história da ditadura.
O Sem Vestígios está indicado para o prêmio Jabuti...

Não que eu me importe, não estou nem ligando, pois já descobri que quem não puxa saco, puxa mesmo a carroça. É o meu caso.

A viagem mais recente

algumas notas