segunda-feira, 6 de julho de 2009

Insone

O vazio e o frio da noite denunciam a sua ausência.
A imensidão dos lençóis marca a falta das tuas pernas,
Do teu corpo tão desejado.

Minhas horas infinitas imploram por teus abraços,
E por teus beijos tão molhados e meus.

Meu corpo insone debate-se com a saudade do teu cheiro,
Dos meus espaços ocupados pela presença dos teus olhos,
Dos teus abraços e da tua alegria...

A viagem mais recente

O tempo....