domingo, 4 de maio de 2008

Silêncio

Quando os dedos calam, Meu bem,
O corpo ressente, entristece,
Adoece.

Quando a poesia pára, meu Bem,
É que a alma não bate,
o coração não pulsa,
O amor não acontece.

A viagem mais recente

O tempo....