Páginas

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Questão

Para refletir!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Passado

Dia desses meu pensamento viajou pelo passado.
Não sou dessas pessoas que se arrependem, que reveem ou fazem promessas de transformações.
Sou do tipo que quando acerta, aprende. Mas quando erra, reconhece e procura não repetir o mesmo caminho ou a mesma ação.

Passeando por alguns recônditos distantes percebi que muitas das pessoas que eu considerava e até gostava, ficaram para atrás. A maior parte das vezes, não por minha culpa, sim por vontade delas.
Eu até senti saudades de certos seres que um dia conheci. Mas nesta viagem, percebi que não mais as conheço e, pior, talvez nunca as tenha realmente conhecido.

Não sou do tipo que racionaliza seu modo de viver. Não vivo protelando em falar sobre uma impressão nem calculando passos.
Sou um ser com o coração ao pé da boca e muitas, muitas vezes precisei pedir desculpas pelas mágoas que causei sem necessidades.
Sem problemas! Não tenho vergonha de pedir perdão. Nem de voltar atrás de uma decisão afobada, muito menos de apagar memórias.

Revisando alguns rincões do meu passado concluí que a maior parte das pessoas e coisas que deixei para trás, mereceram ser deixadas. Muitas não acompanharam meus passos, nem cresceram os anos que envelheci.
Percebi que pessoas são como livros, uma vez lidas, se não gostarmos da história, de nada adiantará relê-las no futuro. A essência continuará igual, mesmo se tentarmos olhar por outro ângulo ou interpretar de maneira diferente.

Outro dia, minha percepção sobre o mundo mudou.
Se eu já sabia que águas passadas não voltam aos rios, agora tenho absoluta certeza.
Se eu já achava que não existem amizades verdadeiras, que singram a vida através dos mares de problemas que todos enfrentam, passei a crer que não existe mais nada além de interesses passageiros.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Caso

Sem querer cruzaram os seus olhares.
Ela o amou,
Ele a quis.

Transformaram o desejo em realidade,
Viveram dias e noites neles e para eles.
Ela era impulso,
Ele, racionalidade.

Os dois eram pura música juntos.
Ela era o verso,
Ele, o som controverso.

Um dia, tudo mudou.
As tardes, antes alegres, ficaram cinzas.
O canto silenciou.

Ela virou o acaso para ele,
E ele se tornou o ocaso para ela.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Qualidades

Ela era um pouco meiga e um tanto rude.
Tinha asas nos pés e um mundo inteiro na mochila.
Muito profunda, não tinha paciência para pessoas rasas.
Muito alegre, se recusava a gastar seu tempo com gente ranzinza.
Seus dias possuíam 25 horas e suas noites outras 25.
Seus dedos colocavam poesia no papel,
Enquanto sua mente imaginava um mundo colorido e belo.

Ela era livre, mas para quem não conhecia a liberdade,
Ela era libertina.
Ela era intensa, e nas suas horas não cabiam momentos brandos.
Não se permitia meias frases, nem meios sentimentos.

Em seus olhos havia um arco-íris muito colorido.
Da sua boca escorria o doce mel da paixão pela vida.
Não conhecia o vazio, pois estava ocupada procurando novos horizontes.
Ela chorava, mas logo sorria.
Ela tinha o futuro diante de si,
Por isso, jamais andou debruçada no passado.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

saudades

Eu sei, meu bem,
Que nos perdemos entre as nossas confusões.
Que a distância nos afastou
E o tempo fez de nós dois estranhos.

Se nos encontrarmos um dia, me perdoe.
Talvez ainda possamos sorrir
Das horas desperdiçadas com o que não era importante.
Com o que não era nosso abraço.

Por mais difícil que possa ser,
Você precisa saber que, enquanto tu és apenas o denominador comum no dia a dia de outro alguém,
És quase tudo de especial para mim.

O mundo e as circunstâncias andaram contra nós,
Contudo serei sempre sua.
Mesmo quando os anos se tornarem décadas e
Os minutos, horas, nada vai tirar você de mim.

Por mais custoso seja não te ter por perto,
Eu sei que estás sempre aqui.
Moras em mim, no meu corpo, no meu pensamento, no meu desejo e na minha vida.

Eu sei que sentes minha falta.
Não importa onde vás ou quanto dinheiro tenhas,
É a mim que amas,

É a ti que amo.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

meu adeus

Adeus, Amor
Preciso me despedir, está tarde.
Nossos olhos já não se veem,
Nossas bocas não se beijam,
E nossos corpos não se aquecem.

Preciso ir agora!
Não te aborreças e nem me maldiga.
Não se irrite com o mundo,
Nem me tomes como impulsiva.

Minha decisão não é recente,
Sei que você não esperava, mas
O meu coração cansou de sofrer e
De se queixar...
Adeus, querido!
Me perdoe...
Reconheço que jurei amor eterno,
Prometi jamais sair do lado teu.

Preciso partir!
Por favor, não penses que existe um outro Amor,
Muito menos outro alguém.
Não há nada em mim, a não ser o desejo de voar
Para onde você não possa mais me desprezar.

Adeus, Amor.
Não me espere para jantar,
Estou de saída e 
Não vou mais voltar.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

notas sobre ele

Ele tem o sorriso mais gostoso que sorvete de flocos.
Olhos de mel com um quê de alvorecer.
Ele é um menino dentro do homem.
E tem um jeito maravilhoso de entrar na minha alma enquanto penetra o meu corpo.

Ele é um doce que, às vezes, amarga.
Ele tem uma ternura áspera. Ora é Amor, Ora desinteresse.

Ele tem asas na imaginação.
Sua fala possui uma leveza que me faz até sonhar.
Ele tem em si, muito de mim. 
E eu tenho em mim, tudo dele.

Ele tem uma carcaça dura, mas dentro há um coração sensível.
Ele me conta, sem palavras, que por trás de toda aquela austeridade e ausência, há um amor que é todinho meu...