terça-feira, 16 de agosto de 2011

Hoje

Hoje o céu tem cor de lágrimas e solidão.
Em meu ser, uma entropia...
Do caos, a teoria.
Um vulto que se aproxima calado e gelado.

Uma ausência fria, vazia
Que cala a minha voz
E Desnuda minhas verdades.

De tudo o que há hoje,
Um vento tresloucado,
A pele ressecada,
E o coração atormentado.

A viagem mais recente

O tempo....