sexta-feira, 30 de junho de 2017

Ponteiros

No relógio da parede, as horas não passam. 

A noite fica cada vez mais longa e escura.

Sôfregos, meus pensamentos viajam em busca dos seus olhos castanhos calmos.

Os minutos sem seus braços à minha volta se transformam em décadas de solidão.

Os ponteiros indicam o tempo exato da dor que me causa a tua ausência.

Cada segundo sem o calor do seu corpo congela a minha Alma.

O tic tac do relógio avisa que a saudade estará maior pela manhã. 

O sono não vem.

A alvorada logo vai despontar e o vazio dentro de mim se expande...

Rogo ao senhor do tempo para que as horas tragam um novo conto.

Imploro para que os minutos passem depressa!

E eu te encontre antes que a areia da ampulheta da vida termine de cair.

terça-feira, 20 de junho de 2017

algumas notas

Eis que o destino finalmente nos trouxe aqui.

Somos dois, somos um. Somos cada um.

Atados em laços sem nós e laçados em nós.

Caminhamos juntos, sem falar, sem orar,

Apenas nos colocamos lado a lado, sem olhar,

Sem esperar. Aguentando o tempo passar.

Eu tinha necessidade de ir,

Você veio.

Eu preciso de movimento,

Você de calmaria.

Eu tenho urgência de viver,

Você consegue esperar.

Eu não consigo engolir a dor,

Quando você finge que não a sente.

Eu gosto de céu azul,

Você busca a sombra.

Eu sou o giro,

Você é o sol...

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Nude

Pediram um nude, meu coração enviou um poema. 

Tempos depois descobriu que o pedido era de um nude de corpo e não de Alma...


A viagem mais recente

Plágio