Páginas

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Timtim


terça-feira, 20 de outubro de 2015

E mesmo quando morro diante das decepções, eu renasço.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Tu e eu

Quando tenho você nas minhas mãos,
Posso ler-te como um livro. 
Eu sei o que nem você sabe sobre si,
Te conto coisas que você nunca se diria.

Quando tenho você nos meus abraços,
Consigo decifrar os teus segredos,
Traduzo para ti as tuas próprias frases
aprendo mais e mais de mim mesma.
 
Quando estás em mim,
És como um sopro de vida,
Somos juntos os milagres que não acreditamos
E curamos todas as nossas dores.

Quando eu estou em ti, me descubro mais forte,
Se não fosses meu homem, eu teria que lutar por ti. 
Se não fosses meu amor, serias meu amigo.
Pois, contigo não tenho reservas.
Te conto meus segredos,
Minhas aventuras e meus degredos.

Quando estamos juntos, somos como um perdão.
Bom, intenso, revigorante, pacífico.
Me transformo em menina,
Cujos olhos grandes são fascinação.

Quando nossos corpos se unem em apenas um,
Nada mais me faz falta.
Nenhuma ausência é sentida,
Nenhuma saudade persiste,
Ninguém mais existe.

Mas quando te vais,
Que distante me sinto.
Quanto silêncio se faz,
Afinal, és minha casa,
Meu desejo e
Minha paz...

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Metamorfose

Éramos apenas uma alma,
Com tudo em comum.
Dois corpos distintos,
Unidos por vários motivos,
E uma só vontade.

Éramos força,
Sagacidade, verdade,
Planos, desejos,
Taças de vinho e 
Jantares perfumados,
Alegria e Sonho.

Éramos emoção,
Euforia pelas presenças,
Tristeza pela ausência,
Sorrisos na chegada e
Lágrimas nas demoradas despedidas.

Éramos amor e loucura,
Prazer e gemidos,
A luxúria transpirava pelos poros e
Escapava por todas as palavras.

Éramos tesão,
Paixão,
Respeito e
Admiração.

Numa noite qualquer,
Descobrimos a dor,
Uma mentira cavalgava entre nós.
Surgiu o tédio e a desconfiança,
Nasceram os silêncios,
A felicidade virou lástima e dor,
E nós, que éramos tão nós,

Fomos.

domingo, 4 de outubro de 2015


sexta-feira, 2 de outubro de 2015

É, meu bem

Depois do sonho, 
A realidade.
Um doce olhar para o que ficou.
Um doce esquecer para o que passou.
Horas vazias de pensamentos sobre nós.

É, meu bem,
A verdade cala, 
Mas a sabedoria fala.
Conta todas as histórias em detalhes.
Não se utliza de artifícios,
De mentiras ou de manobras.

É, meu bem,
Tudo passa.
O sorriso brota,
A alma tranquiliza,
O destino se encarrega
E a felicidade toma conta.

É, meu bem,
Todo mau momento se transforma em conhecimento.
O futuro abre os braços e estende os tapetes vermelhos de boas-vindas.
Ainda bem, não é, meu bem?