domingo, 13 de setembro de 2015

Foram-se



O nosso dia azul de entardecer alaranjado
Ainda mora nos meus olhos negros e 
Cansados da falta da tua presença colorida.

Minhas manhãs ficaram grandes sem o teu bom dia,
Meu corpo, frio sem teu toque,
Meus desejos, estéreis sem tua língua.
Minhas fantasias, mortas sem o teu carnaval.
Meus lençóis, desconfortáveis sem a maciez da tua pele.

A noite sem a tua risada, minha Lua, tornou-se escura,
As madrugadas sem o teu ressonar, ficaram lentas e modorrentas,
Meus lábios, todos eles, perderam a libido e a umidade.
Meus pelos não mais se eriçam
E meus gemidos, tão teus, se calaram.

Meu riso alegre desmanchou,
Meus sonhos acordaram,
Meu desejo dormiu,
E meus dedos se fecharam.

Foram-se nossos lugares,
Nossos gostos em comum,
Nossas alegrias,
Nossos reencontros
E nossas intensas presenças um no outro.

Ficaram nossas saudades,
Um frio na espinha,
A recordação dos tempos felizes,
A pedalada solitária,
Os planos em suspenso,
E um amor sem fim....

A viagem mais recente

O tempo....