terça-feira, 14 de julho de 2015

Um dia

Enfim, um dia sem cinzas,
Sem dores no corpo,
Sem sombras na alma,
E sem lágrimas na face.

Um dia sem desejos em vão,
Sem sonhar com deliciosas tardes de domingo
Sem medo das partidas e
Sem querer chegadas.

Finalmente, um dia sem lamber as feridas
Causadas pela ausência das noites de pernas entrelaçadas,
Sem coração sangrando,
E sem buscas.

Enfim, um dia de sorrisos,
De novas rotas,
Novas alegrias,
E uma nova esperança no olhar.

A viagem mais recente

algumas notas