segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sem você

Sem você, meus silêncios são barulhentos.
Meus dias são mornos e minha mente irrequieta.
Sem você, minha tarde é modorrenta e minhas noites insones. 
Recordo tuas falas. 
Cada letra me trazia a esperança de não serem as únicas.
Nem as últimas.

Os quadros da parede não têm o nosso retrato,
Os nossos beijos não foram capturados naquela velha fotografia.
porta-retratos continua sem o teu olhar e sem o nosso mar.
Chuto as pedras que não estão no caminho e desenho nossos nomes em  um papel amarelo.
Eu o guardarei em qualquer gaveta, onde ele se juntará com os sonhos meus.

Sua ausência tira o teu gosto do meu sorriso e teu perfume dos meus poros.
Tudo o que não há, me fala das coisas que não fizemos juntos.
Sigo os mesmos caminhos todos os dias. 

Persigo objetivos e um deles é ter você nos meus sóis e luas. 
Contar-te minhas histórias e rir das mesmas quando repetidas.

Sem você meu carinho é sozinho.
Minha vida é sem luz, minhas estradas sem direção e minhas escolhas vazias...


A viagem mais recente

Plágio