Páginas

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Suspiro


Então, com aquele pequeno suspiro, toda a minha vida se esvaiu.
As lágrimas que lavavam o meu rosto, de repente se tornaram chamas,
Queimando meus olhos, salgando meus lábios, partindo meu corpo.

Aquele pequeno suspiro tirou de mim o sono e a alma.
Matou meu sorriso, decepou meus sonhos,
Varreu minhas ilusões e me devolveu à escuridão.

As poucas palavras, entremeadas, pelo suspiro,
Devolveram a minha solidão rouca e profunda.
Desmantelou meus mais lindos pensamentos
E espantou a breve alegria que insistia em aparecer.

Aquelas palavras, as mais nobres e a mais sujas,
Definharam os meus discursos,
Entorpeceram minha língua,
Amaldiçoaram o futuro que jurava promissor.

Aquele suspiro...
A morte.
O retorno do demônio
A frieza dos meus dias.

Uma imensa saudade...