Páginas

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Enquanto todos os olhos se fecham,
O coração se abre.
E é neste pulsar, nesta agonia indefinida e impertinente
Que as lágrimas correm...