quinta-feira, 31 de maio de 2012

Ausência

Hoje fazem 4 anos que você partiu.

E de todas as coisas, ficaram:

Tua alegria,
Teu sorriso,
Tua vontade de viver,
Tua amizade incondicional,
Teu abraço nas horas certas,
Tua linda alma,
Teu beijo de carinho,
Tuas mãos a segurar as minhas nas boas a nas más ocasiões,
Teu amor por mim.

te amo e sempre vou te amar, minha Amiga Lílian.
Espaço reservado para meu egocentrismo, rompantes, idiossincrasias e qualquer outra coisa.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Questionamento

O que se faz quando:

- Tudo o que você via se desfaz?
Todas as luzes escurecem?
Todas as crenças se dissolvem?
Todas as amizades se perdem?
Todos os caminhos se desviam?

O que se faz quando:

- Todas as promessas de felicidade se tornam lembranças?
Todos as pegadas se apagam?
Todos os sorrisos se transformam em lágrimas?
Todas as belezas enfeiam?
Todos os dias viram noites eternas?

O que se faz quando:

- Tudo o que você queria se torna apenas um grande e longínquo sonho?
Todo o seu ser clama pelo azul do mar?

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Imagem

Meu corpo não é arte.
Nem fui desenhada por pintores renascentistas.
Estou mais para as imagens de Dali ou Picasso...

Meus olhos não são azuis brilhantes.
Têm a cor da noite sem estrelas,
Negros como a escuridão
E raros como pérolas.

Não tenho boca cor de morango,
Nem dentes marfim.
Sou um ser igual a tantos outros,
Até meio patético,
Que caminha pela rua sem ser notado,
Mas vive por aqui e acolá...

Sou destes tipos piegas,
Que choram com melodramas.
Não sou personagem de Almodóvar, muito menos de Fellini.
Estou mais para as moças, nem tão boazinhas, do Lars Von Trier...

Não sou a musa inalcançável de Alvares Azevedo,
Nem a doce donzela de Castro Alves.
Não tenho dedos tão pequenos quanto a chuva de EE Cumings,
Sou a volúpia descrita por Florbela Espanca.

Sou dessas pinturas comuns,
Literaturas cotidianas,
Imagens em movimento,
Partituras.

A viagem mais recente

algumas notas