quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Chuva

A beleza dos teus olhos,
A alegria do teu olhar,
A calma do teu sorriso,
Ah, estas coisas em ti, tão belas,
Nem o céu turvo e cinza consegue nublar.

Tuas mãos macias,
Os carinhos tão mornos,
As cores tão verdadeiras,
As verdades tão certas.
Nem a chuva consegue apagar.

Tu
Em meu desejo tão vivo,
Em meus sonhos tão reais,
Em meu canto tão sereno.

Ah! Nem o tempo vai matar.

A viagem mais recente

Ponteiros