Páginas

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Hoje

Me vi perdida entre as paredes do nosso pequeno mundo,
Do abrigo das nossas vozes abafadas pelo cheiro de café suave,
Pelas horas desperdiçadas com nossa ausência.


Hoje amaldiçoei o frio,
O dia, o mês, o ano passado e o outro também.
Me achei infantil,
Impliquei novamente com o tal Amor,
Quis esquecer teus olhos doces olhando pela janela do meu egoísmo ,
E me joguei em tuas letras...


Te li e te reli...
Outra vez,
e outra,
mais outra...


Eu hoje solucei meus ódios solitários,
Revi a breguice do teu amor,
Amaldiçoei a distância do teu corpo,
Meu Alvo,


Então, bendisse a noite
E teus braços que de novo me envolverão,
Neste amor tão teu...

sábado, 17 de setembro de 2011

Master of my soul

Revolva meus moinhos, Senhor da Minha Alma! Derreta minhas resistências Com as gotas do teu suor. Finde o desencontro, Senhor dos Meus Desejos! Faça de mim teu templo, A tempo. Transforme meus rios em teus mares, Meus risos em tuas alegrias E minhas loucuras nos teus caminhos certos! Erice meus pêlos com Teus toques majestosos. Deixe-me viver em tua íris, Senhor dos meus Amores, E reviva os nossos momentos Em nossas horas, sempre, Pra sempre.