terça-feira, 23 de agosto de 2011

Redesenho

Redesenho o que sou e transformo a paz que me transforma em guerra,
Em uma arte criada por minha própria ilustração.

Me redesenho no avesso das páginas, refaço anotações,
Revejo lusões travestidas e maquiladas enquanto 
Apago minhas rotas desencaminhadas.

Há lume nos meus rabiscos.
Dores que finjo em não sentir,
Sorrisos que não consigo mais rir,
Loucura que minto não existir.

Redesenho minha história.

Os sonhos e icebergs se desfazem
Como verões da infância.
As desilusões vencidas se transformam no retrato da minha reinvenção.

A viagem mais recente

Plágio