segunda-feira, 27 de junho de 2011

Redesenho



Meus pés nus dançam imóveis,
O corpo balança feito a maré;
Me despista, me enrubesce.

Sou autora de melodias risonhas:
De choro em trova,
Da alegria em particípio,
Da tristeza em notas sem ré...

Tenho lágrimas batizadas,
Amanhecidas, vestidas, vertidas,
Transmutadas em palavras e suspiros;
Forjadas em lâminas e doçuras salgadas.

Soluço sóis,
Escorro chuvas,
Resseco meus desertos,
Renasço sombras, nuvens e castanhas.

A viagem mais recente

Ponteiros