Páginas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Novos caminhos

Chega agora o algoz e fugidio contentamento,
Realização do sonho de um tempo,
Onde minhas alegrias seriam outras gargalhadas.

Corre em mim
O teu rio novo e intenso,
Que lava meus olhos emocionados
Da felicidade do orgasmo cego que te pegou desatento.

Corre, maldito relógio,
Leva as horas cansadas,
Aborrecidas como meu pensamento,
Que tanto lamenta a tua ausência.

Em breve escutarei os acordes da tua melodia,
A queima do desejo intenso de me amar,
nas tuas águas caudalosas,
Onde quero navegar até me perder
Nos teus dentes, sonhos e cabelos.

Quero me deleitar com teus dedos a me tocar,
Me estender nas tuas encostas quentes e úmidas;
E me banhar
À beira do teu mar.