sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Não

Não.

Não me calarei.
Tenho ossos nas veias e sangue no esqueleto.

Não.

A palavra é simples e rasga os céus,
Traduz verdades e desejos.

Não.

Nunca farei silêncio,
Se levarem os meus amanheceres,
Ou furtarem os entardeceres,
Ainda sim haverá minha luta.

A viagem mais recente

O tempo....