quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Saiba

Não tenho sangue, Amor,
Tenho samba correndo pelas veias.
Não tenho dentes,
Tenho mordedores fortes plantados na gengiva.
Não tenho pés,
Tenho ventos que me locomovem.
Não tenho mãos,
Apenas toques leves ou perversos...

Não, meu bem,
Eu não me importo com o novo,
Pois sou a rudeza das palavras enfileiradas numa Bossa-velha.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Encosta

Sussurro-te meus desejos,
Entre línguas e dentes.

Encosto-me em teus ombros,
Enquanto beijo teus cabelos.

Me abraça, Amor,
Respirando-me as palavras.

Adoça-me, Carinho,
Com a doçura dos teus olhos.

Esparrama sobre meu corpo
Suas lindas encostas
E desce pelos terrenos meus.

A viagem mais recente

O tempo....