terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Pensamento

Dobra-se perante meu altar
A palavra;
Um triste e solitário Sim.

Ajoelham sob meus olhos,
As lembranças dos dias bons.
Revolve dentro do meu peito o sabor da oratória
Perdida entre dentes e apelos.

O sussurro desmerecido e aterrador de letras mortas
De tempos sombrios
Como o dia que se foi deixando esta abóboda estrelada e vil.

Soam-me lendas,
vocábulos perdidos em lentas profusões.
Sentimento de de um destino marcado
De uma noite desritmada e barulhenta.

A viagem mais recente

algumas notas