quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Novo Ano

Hoje é dia de renascer,
De morrer lembrança e cantar novas músicas.
Hoje é dia.

O meu dia.

Porém, nada faz sentido.

Nem presentes,
Nem o mundo,
Nem riquezas.

Apenas o abraço.

Que nunca veio,
Que nunca chega,
Que não tenho.

Não porquê você se foi,
Seria mais fácil.

Sim, porquê não me vê,
Nem está por perto,
Nem faz questão.

É, Mãe...
Hoje, 34,
Sem teu beijo.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Rua

O vai e vem dos motores,
O cheiro de fumaça,
Pulmões em desgraça,
Olfatos contundidos por odores.

Amarelo é o dia,
Que de cinzas enche meu peito.

Maldito desenvolvimento que esconde estrelas,
Desconstruindo o progresso,
Nos fazendo acreditar em asneiras.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Vida

Um dia fui rainha;
N'outro plebéia.

Coroaram-me estrela,
Me deram pedestais,
Me enfeitaram de flores;
Cubriram-me de aplausos.

Um dia fui gente,
N'outro, nada.

Tornei-me navegadora numa viagem sem volta,
Avancei por caminhos tristes,
E outros flóreos.

Conheci um sem fim de gentes;
Fui amada, bajulada, calçada.
Detestada, ofendida, contestada.

Hoje sou apenas eco
De um tempo que vivi...

A viagem mais recente

O tempo....