Páginas

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Por aí...

Enquanto seus olhos cruzam novas estradas;
Meu coração bate apressado,
Chora,
Cruza o mundo em busca de você...

Atravessa o tortuoso caminho chamado
Saudade...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

É...

E de todas as coisas que se foram,
Ficaram as tuas marcas no meu lençol.

Deixastes tuas cores em minhas retinas,
E teu perfume em minha alma...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Sapiência

Não sei fazer nada diferente.
O mundo também é repetitivo...

Tudo vai e volta, noite e dia.

O rosnar dos cães interiores silenciaram,
O alforge esvaziou,
O pedal quebrou e a vida que passava pelas duas
Rodas-Olhos,
Foi ficando para trás.

Como paisagem impressionista.

É, eu não sei fazer,
Nem ser diferente,
A - Final -

Tudo é sempre tão igual.

Escureço

Escureço quando amanheço
Sem teus pés para sentir
O aconchego...

Escurece minha taça
De vinho tinto seco
Como seco é meu ventre
Sem tua umidade.

Escureço
quando
Amanhece

e

tuas mãos
não buscam
meu corpo
sedento dos
teus sabores...

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Verdade

É bem verdade, meu Bem,
Que as luzes se tornam amarelas sem teu olhar,
As ruas da cidade estreitas demais para minha embriguês,
E meus tornozelos fracos demais sem teus caminhos.

É bem verdade, meu Bem,
Que as noites são escuras sem tuas gargalhadas,
Que meu corpo é triste sem teus dedos,
E eu sou nada, meu Bem, sem teu tudo que me alegra.