quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Palavras

Digo que sim, que sou, que não.
Digo adeus, good bye, adieu.
Não sei, mas temo viver em um mar de palavras perdidas,
E eu, barco sem rumo, navego por elas...
Sem prumo, sem gume, sem lume...

Digo que não ligo,
Que tudo bem,
Mas não consigo viver sem você,
Que me encanta, me espanta, me acalanta...

Fecho o livro,
Abro as garrafas de um vinho barato qualquer.
Mas sem você, que é meu colo quente, nada tem graça,
Nem razão...
Nem tesão.

É ...
Sou isso,
Emoção.

A viagem mais recente

Plágio